Sei que é um assunto polêmico e que você provavelmente já está com algum comentário na cabeça só de ter lido o título, mas vamos lá.

No episódio 10 da 4ª temporada de The Walking Dead, umas das cenas mais polêmicas e mais comentadas foi a da Lizzie tentando sufocar a pobre Judith, por ela estar chorando e arriscando a vida do grupo ao atrair zumbis com o barulho. Essa cena já rendeu muito debate por aí. Já li muitos comentários sobre o risco de se ter um bebê no grupo em um mundo como esse. Além de fazer muito barulho chorando, requer mais atenção, comida específica e cuidados especiais.

Ou seja, tudo o que Judith precisa é basicamente o que os personagens não tem nas atuais circunstâncias. Isso sem contar com o senso zero de perigo que um bebê tem. Em momentos de risco, nos quais o silêncio absoluto pode significar a sobrevivência, um chorinho de bebê pode virar sinônimo de morte. Muitos inclusive defendem a morte da Judith. Não por maldade, mas meio que por “misericórdia” e pelo bem do grupo como um todo. Entendo perfeitamente esse ponto de vista e até concordo em partes, mas eu defendo que a Judith não morra. Por mais que ela possa atrapalhar, simplesmente não consigo pensar diferente.

Um dos motivos de eu defender a vida da Judith é que seria muito interessante ver uma criança que já nasceu nesse mundo crescendo. Como será que ela vai se desenvolver? Como Rick e Carl a educariam? Será que ela vai virar uma super badass mirim? Que ela provavelmente não terá infância é fato, mas gostaria de ver além disso.

Já rolou outra polêmica antes sobre o assunto, quando Maggie e Glenn cogitaram ter um bebê. Todo mundo comentando que eles eram loucos. Até eu pensei assim. Aliás, pensar em ter filhos num mundo como o deles é no mínimo complicado.

Talvez se eles conseguissem um ambiente seguro pra viver, tornaria essa idéia mais próxima de ser realizada, mas como já vimos, não existe lugar seguro em um apocalipse zumbi. Por mais que pareça seguro, sempre podem aparecer outras pessoas interessadas no seu abrigo, que se precisar, farão o necessário para tirar você de lá. Aliás, a série já nos mostrou que isso é válido tanto para abrigos como para qualquer item que seja útil. Já vimos acampamentos sendo destruídos e pessoas se matando por uma cama.

Bem, toda essa discussão sobre bebês no apocalipse me fez pensar em outra questão. E se realmente ninguém mais quiser ter filhos diante desse universo? E os que restarem (se é que existem outros), assim como a Judith, forem sacrificados, em prol da sobrevivência dos outros? Se você seguir esse raciocínio a longo prazo, vai perceber que a humanidade caminha para uma provável extinção. Afinal, não existe outras maneiras de perpetuar a espécie sem que envolva bebês chorões e famintos. Será que vale a pena o sacrifício para dar continuidade a raça humana ou o mundo terminará sendo completamente povoado por zumbis?

Siga Geekdama nas redes sociais!