Se você acompanha a obra original de The Walking Dead, nos quadrinhos, sabe a relevância que Jesus tem na história e todos os seus feitos. E como ele continua vivo e detonando nas HQs, foi um choque para os fãs descobrirem que sua adaptação para a série de TV encontrou um inesperado fim graças a uma facada de um Sussurrador, no 8º episódio da 9ª temporada (S09E08 – “Evolution”).

Nos quadrinhos também é Jesus que descobre o truque de camuflagem dos Sussurradores, mas ele sobrevive para contar a história. A série de TV fez, portanto, mas uma divergência do material original, assim como a morte de Carl e a saída de Rick e Maggie.

Considerando essa mudança drástica de rumos, é de se imaginar que o ator que interpretou Jesus, Tom Payne, estaria chateado com sua saída antecipada de The Walking Dead. Contudo, sua reação é de felicidade por deixar a série, após anos de frustração com os rumos de seu personagem.

Em entrevista ao site The Hollywood Reporter, Payne acredita que a série de TV negligenciou o fato de que Jesus é um dos combatentes mais ferozes do grupo. Na visão do ator, os momentos finais de Jesus foram muito mais fiéis.

Eu sei que as pessoas ficarão desapontadas e chocadas, mas eu estou feliz. Contando que seja um momento bem bacana, vamos fazer!

Eu sei que muitas pessoas ficarão chateadas, mas eu tenho estado chateado nos últimos dois anos que o personagem não teve os momentos legais dos quadrinhos [adaptados para a série de TV]. Eles me deram um final bem legal e estou feliz com isso.

Payne prossegue com a entrevista, comentando quais oportunidades foram perdidas em sua perspectiva.

Acho que foi injusto com a audiência deixar a entender o relacionamento de Aaron com Jesus. Mas foi também ótimo que esse ponto esteve lá. Estou feliz que eles fizeram isso.

Eu acho que seria divertido ficar um pouco mais na série – mas apenas se eu pudesse contracenar com todos! Se eu tivesse apenas aquele episódio e então voltasse para Hilltop? Eu odiaria minha vida.

Por fim, Payne desabafa sobre qual é a pior parte nessa despedida, apesar de sua felicidade.

Eu amava o personagem. É triste dizer adeus. Havia tanto potencial nele que não foi para frente. Eu estava frustrado com isso e desejava que fosse melhor explorado.

Eu não fiquei triste em me despedir dessa frustração. Era constante. Tem sido constante por dois anos. Eu estava muito preparado para este personagem e o que ele era capaz de fazer. Tem tanto potencial que não foi explorado. Isso foi frustrante demais para mim.

Foi ótimo quando nós finalmente mostramos o que ele é capaz de fazer nesta temporada. Eu não tenho o menor interesse em voltar a ficar frustrado com um personagem (risos).

Fiquei feliz em ter uma grande estreia, um grande momento com Lennie [James, o Morgan] e então um grande final. Isso basta para mim. Estou feliz que fechei tudo de uma forma divertida, com um grande impacto na história. E ao mesmo tempo estou pronto para seguir em frente.

***

O que você achou do desenvolvimento e morte de Jesus em The Walking Dead? Concorda com Tom Payne ou acha que o personagem cumpriu bem seu papel na série de TV?

Confira também:

Fonte THR

Siga Geekdama nas redes sociais!