PUBLICIDADE

Robert Kirkman, o criador de The Walking Dead, jutamente com os produtores executivos da série de TV Gale Anne Hurd, Glen Mazzara e David Alpert, abriram processo contra a AMC, sob a alegação que a emissora lhes deve dinheiro. Os números podem chegar na ordem de um bilhão de dólares, de acordo com os advogados do ex-showrunner Frank Darabont.

A denúncia começa com a seguinte acusação:

Este caso surge a partir do fracasso de um enorme conglomerado de entretenimento em honrar suas obrigações contratuais com a equipe de criação, responsável pelo imenso sucesso da duradoura e altamente rentável série de TV The Walking Dead.

A AMC usou sua estrutura corporativa verticalizada para manter tanto a produção quanto a exibição de TWD, o que a permitiu manter uma fatia gorda dos enormes rendimentos da série, sem realizar a divisão exigida por contrato.

Este processo surge pouco após Kirkman fechar contrato de exclusividade com a Amazon e se desligar da AMC. Além disso, a AMC também enfrentará mais uma audiência do processo contra Frank Darabont na semana que vem.

Darabont foi o co-criador e showrunner da série de TV de The Walking Dead, sendo demitido após os seis primeiros episódios. Os advogados de Darabont afirmam que a AMC deveria lhe pagar 30 milhões por episódio. Ao longo de 7 temporadas, a quantia total atualmente é da casa das centenas de milhões de dólares.

O contrato de Kirkman lhe garante 5% dos rendimentos de The Walking Dead, enquanto Hurd fica com 7,5%, Alpert com 2,5% e Mazzara com 1,5%. Darabont teria direito a 10%.

Leia Mais: AMC lança comunicado em resposta ao processo de Robert Kirkman em The Walking Dead

Siga Geekdama nas redes sociais!