A história original de The Walking Dead, em quadrinhos, chegou ao seu fim em 2019, após 193 edições, que mostraram como os sobreviventes conseguiram superar o apocalipse zumbi e reconstruir a civilização.

O final de The Walking Dead pegou os fãs totalmente de surpresa, que ainda esperavam a continuidade da história, mesmo após a morte de Rick Grimes.

O criador de The Walking Dead, Robert Kirkman, fez questão de manter o fim em segredo e chegou ao ponto de criar e divulgar capas das supostas edições seguintes, que nunca seriam lançadas.

Em entrevista ao canal CartoonistKayfabe, Kirkman comentou a situação:

Foi bem divertido e fiquei surpreso por termos conseguido. Foram anos de entrevistas, com as pessoas perguntando quando The Walking Dead terminaria. E eu sempre respondia que isso nunca aconteceria, que continuaria para sempre.

E na minha cabeça eu estava contando quantas faltavam. 24 edições… 16 edições… 12 edições… 8 edições…

E eu me sinto mal por isso, não me agrada mentir. Mas para manter uma surpresa como essa? Sinto que foi importante.

Capa da edição final de The Walking Dead.

Kirkman segue, comentando as dificuldades de manter em segredo o final de The Walking Dead.

Foi difícil manter em segredo, mas era uma questão de retornar àquele ponto que me emociona nos quadrinhos, de ir até uma comic shop, olhar a capa exposta lá longe e pensar ‘calma aí, o que vai acontecer naquela edição’?

Quando faltava apenas um mês para a edição final, Kirkman estima que apenas cerca de seis pessoas sabiam que The Walking Dead iria de fato terminar.

Uma das pessoas que sabia era o desenhista dos quadrinhos, Charlie Adlard, que criou as capas para edições seguintes que nunca seriam lançadas, incluindo uma capa mostrando Carl sendo empalado por uma espada.

As capas falsas das supostas edições 194 e 195 de The Walking Dead.

Kirkman adimtiu que a decisão de criar estas chamadas “capas perdidas” foi questionável.

Eu dei ideias para ele, as mais idiotas. Pois se você ler a edição final, a 193, e ver as capas, pode concluir que a história iria para essa direção. Mas nunca iria. Eu poderia ter colocado qualquer coisa nessas capas, ninguém saberia.

Mas sei lá por que eu pensei em apenas fingir que o Carl adulto morreria e então teríamos a Sophia e a filha deles, Andrea, em seu túmulo, e uma imagem do Carl com a espada atravessando seu estômago, e achei que seria divertido.

Charlie Adlard, o desenhista de The Walking Dead, esteve no Brasil em 2019 na CCXP.

A travessura de Kirkman só tinha um problema: os varejistas acreditaram que as edições 194, 195 e 196 eram genuínas e se prepararam para fazer reservas.

Nós tínhamos que fazer isso para manter a surpresa. Ninguém sabia que aquela edição seria a última. Ninguém sequer sabia que aquela edição seria imensa, pois ela estava com o mesmo preço de todas as outras. E então ela chegou nas lojas, com aquela lombada quadrada e tendo três ou quatro vezes mais páginas que uma edição normal.

O lado negativo disso foi que os maiores varejistas fizeram pedidos imensos para edições que nunca existiriam. E esses pedidos tiveram que ser cancelados e reembolsados. Talvez isso tenha sido um erro da minha parte.

Acho que no final a surpresa valeu a pena. Mas na época alguns varejistas ficaram meio zangados comigo.

Confira a entrevista completa com Kirkman (em inglês, sem legendas):

Siga The Walking Dead BRASIL nas redes sociais!