Na terceira temporada de The Walking Dead, o grupo liderado por Rick Grimes (Andrew Lincoln) se abrigou em uma prisão, em um dos principais arcos da série.

Assim que eles conseguiram invadir a prisão, se depararam com alguns detentos que estavam isolados no local desde o início do apocalipse zumbi: Axel (Lew Temple), Big Tiny (Theodus Crane), Tomas (Nick Gomez), Andrew (Markice Moore) e Oscar (Vincent Ward).

O grupo de Rick encontra os prisioneiros ao final do 1º episódio da 3ª temporada de The Walking Dead.

Na história original, nos quadrinhos, este grupo da prisão era quase todo diferente e Axel foi o único que se manteve na adaptação. Havia também um prisioneiro chamado Thomas Richards, que alegou estar preso por fraude fiscal. Mais tarde ele se revelou como um serial killer.

Após ganhar um pouco da confiança dos sobreviventes, Thomas assassinou brutalmente duas das filhas de Hershel (Susie e Rachel Greene, as quais não apareceram na série) e quase matou Andrea, que escapou após perder o lóbulo de uma orelha e receber uma cicatriz no rosto.

Capa da edição #18 dos quadrinhos de The Walking Dead, onde Rick e os outros discutiam se deviam executar Thomas.

Contudo, na série de TV esta trama do serial killer na prisão não aconteceu. Em entrevista ao podcast oficial da Skybound, Lew Temple revelou que a AMC planejava adaptar esses acontecimentos na série com Axel, porém acabaram desistindo por achar que seria violento demais.

Fui contratado na intenção de interpretar um serial killer, mas então no dia fui notificado de que isso seria alterado.

“Não, não. Temos que deixar as coisas um pouco mais leves. Estamos muito sombrios.”

Inicialmente, os roteiristas orientaram Temple a interpretar Axel com leveza e carisma para que então sua natureza brutal fosse revelada como um elemento surpresa.

A cada episódio, os roteiristas me diziam, “Olha, vai acontecer uma coisa mais para frente.

Algo vai acontecer que mostrará que você não é quem parece.” Eu disse que por tudo bem, e eles disseram, “Mas não deixe isso muito evidente”.

Carol (Melissa McBride) e Axel (Lew Temple) na 3ª temporada de The Walking Dead.

De acordo com Temple, Beth (Emily Kinney) seria a vítima do serial killer.

Alguns dos episódios que foram escritos me mostrariam levando Beth para uma floresta para matá-la. Mas isso não aconteceu.

Era para eu ter continuado fingindo ser amigável até me revelar. Aquela história do Axel ser um drogado que tentou fazer um assalto com uma arma de brinquedo seria só mentira dele.

Carol (Melissa McBride) também seria atacada por Axel, assim como Andrea, que quase sucumbiu nas mãos de Thomas.

Segundo Temple, além a tentar deixar a série menos brutal, houve também a preocupação de que uma trama muito chocante envolvendo um serial killer pudesse prejudicar o impacto da aparição do Governador (David Morrissey).

Os roteiristas estavam planejando coisas bem sinistras. Mas depois disseram, “Bem, nós estamos em um beco sem saída, pois o Governador está para chegar e ele precisa ser a primeira grande ameaça, senão vai ficar insosso. Então parece que teremos que diminuir sua participação.”

Axel acabou tendo uma morte semelhante à sua versão nos quadrinhos, levando subitamente um tiro na cabeça durante o confronto contra o Governador.

Axel foi morto pelo Governador no 10º episódio da 3ª temporada de The Walking Dead.

Vocês acham que The Walking Dead deveria ter mantido a trama de Axel como serial killer ou acha que a trama se desenrolou melhor sem isso?

Fonte CB

Siga The Walking Dead BRASIL nas redes sociais!